Notícias

10 homenagens à madeira

A arquitetura mais ancestral, que remete às árvores e ao acaso, foi construída pelo clima, furando as montanhas, ou a casualidade, unindo copas de arbustos. A madeira é um material primário e, no entanto, carregado de futuro. Sendo o componente mais cálido de tantos edifícios, é também renovável e reciclável. Dizem que a madeira vive porque range, tem cheiro e responde ao clima e ao passar do tempo, mudando sua densidade e firmeza. William Hall, autor do livro Wood (Phaidon), avalia que, além disso, é também um ingrediente inteligente: a tecnologia acrescentou resistência física à sua impagável capacidade isolante, acústica e térmica.

Uma casa medieval de carvalho diz tanto sobre a sociedade do século XIV quanto as coníferas com as quais foi construída. A própria natureza definia então o tamanho das vigas, das treliças e das colunas com as quais os edifícios eram construídos. Hoje a madeira é submetida a processos de transformação e resistência. O maior edifício construído com esse material está em Tillamook, no Estado do Oregon (EUA). O Hangar B, que funciona como um museu do ar, foi construído em 1943, depois do ataque a Pearl Harbor. Um primeiro Hangar A funcionou como aeroporto até um incêndio ocorrido em 1992. Hoje isso poderia ser evitado: tratamentos à prova de fogo permitiram restaurar a construção com bambu de países tropicais.

A madeira está cada vez mais resistente. Em Sevilla, Jürgen Mayer construiu uma gigantesca pérgola de bétula laminada exposta ao sol e à chuva sobre a Praça de la Encarnación. Uma brincadeira da comunidade batizou o Metropol Parasol de Os Cogumelos. A anedota revela como vanguarda e tradição convivem nos edifícios construídos com madeira.

Embora algumas macroestruturas, como o topo da abadia de Westminster ou a do terminal portuário Yokohama, de Alejandro Zaera, tenham sido construídas com tábuas, talvez a arquitetura de madeira mais famosa seja a menor. Le Corbusier construiu sua Cabanon en Cap-Martin por volta de 1952. Naquela época, o autor do Parlamento de Chandigarh havia redefinido a arquitetura doméstica e estava a um passo de repensar religiosa. No entanto, para si mesmo, escolheu três metros quadrados de madeira junto ao Mediterrâneo. O arquiteto aparece nas fotos como um primitivo cosmopolita: se lavando com uma mangueira e comendo no restaurante L’Étoile de Mer.

A inteligência que torna a madeira resistente também é demonstrada pelo inexpugnável Castelo de Himeji. Embora seus ailerons ornamentados desenhem uma silhueta delicada, o famoso forte japonês do século XVII nunca foi atacado. A inteligência o defendia mais do que a força: era o rangido da madeira que devia alertar sobre a invasão do inimigo e o labirinto de escadas que ajudava a evitá-la.

Instinto e inteligência determinam a construção com um material que associamos com a tradição e com a falta de pretensão. Mas é sua capacidade de transmitir idêntico calor nas cabanas mais tradicionais e nas coberturas mais modernas o que torna a madeira o material mais humano.

fonte: El Pais

Notícias

Cinco casas incríveis
Cinco casas incríveis

Veja cinco referências de casas de madeira com fotos inspiradoras.…

Bela Casa de Madeira
Bela Casa de Madeira

Esta casa de madeira, aço e vidro em Bainbridge Island, Washington,…

Casa Austríaca
Casa Austríaca

A construção em madeira é comum em todo o mundo. Cada vez mais modernas…

Excelente opção
Excelente opção

Em cerca de 40 dias a casa pode estar totalmente montada. Economia…

Faça seu Orçamento









Visite Nosso Show Room